Coleção de música

Uma boa coleção de música deve incluir diversidade, génio e importância na História da música, ainda que seja para a História mais recente. No futuro, é NETHERLANDS - NOVEMBER 25:  HILVERSUM  Photo of Kurt COBAIN and NIRVANA, Kurt Cobain recording in Hilversum Studios, playing Takamine acoustic guitar  (Photo by Michel Linssen/Redferns)possível que a atribuição de títulos e categorias já não seja feita de acordo com os títulos de álbuns e discos. A “atomização” que a internet permite faz com que, cada vez mais, e principalmente os mais jovens, já não queiram apostar na compra de um álbum completo e fiquem apenas pela audição dos singles. O artista pode vir a conhecido por determinadas músicas, e não pelos seus álbuns. Contudo, para compreender a música do século XX enquanto fenômeno artístico, a melhor forma ainda é olhar para o álbum como um todo. Confira agora alguns álbuns que, no seu conjunto, constituem uma grande coleção de música do século XX.

  • “Nevermind”, Nirvana (1991): o grunge revolucionou a cultura pop e abriu caminho ao fim da estética dos “anos 80”.
  • “Thriller”, Michael Jackson (1982): o disco mais vendido de sempre e provavelmente o auge do rei da pop.
  • “Kind of Blue”, Miles Davis (1959): aclamado pela crítica como um dos melhores discos de jazz de sempre.
  • “The Rise and Fall of Ziggy Stardust”, David Bowie (1972): o próprio Bowie dizia, a propósito deste álbum conceitual, que se tinha “perdido totalmente na fantasia”.
  • “The Dark Side of The Moon”, Pink Floyd (1973): a grande referência do rock progressivo.
  • “OK Computer”, Radiohead (1997): o álbum marcou a despedida definitiva da banda inglesa do “rock mainstream”, para se tornarem “a única banda que interessa.” “OK Computer” é uma presença frequente no topo de listas para escolhas dos melhores álbuns da década de 90.
  • “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, The Beatles (1967): a entrada dos Fab Four no rock psicadélico mais puro.
  • “The Joshua Tree”, U2 (1987): a própria Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos determinou que este álbum da banda irlandesa fosse incluído no “National Recording Registry”, o seu registro oficial para memória futura, por sua importância estética e cultural.