Evolução da Música

A música é uma manifestação cultural típica do ser humano, que se sabe ter existido em todas as culturas e civilizações, incluindo as mais remotas e isoladas. Contudo, nem sempre a música teve o carácter de omnipresença que tem atualmente.

Antiguidade e Idade Média

Na Grécia antiga, a música é referida pelo filó736px-Head_Platon_Glyptothek_Munich_548sofo Platão como uma das disciplinas que deveriam ser ensinadas às crianças, para o seu desenvolvimento cultural e inteletual. Ao longo da Idade Média, na Europa ocidental, o desenvolvimento da música esteve associados, tal como muitos outros aspetos culturais, à influência e ao trabalho da igreja católica.

Períodos clássico e romântico

Ao longo do século XVIII, desenvolveram-se os instrumentos e as estruturas daquilo que hoje consideramos música clássica, com sonatas e sinfonias assistindo ao desenvolvimento das primeiras orquestras. Mozart é o grande nome desse período; depois, vieram Beethoven e Schubert, que abriram caminho ao período romântico. Normalmente também chamamos às grandes composições do século XIX de música clássica, mas Mendelssohn, Brahms, Tchaikovski ou Verdi já emprestavam mais dinâmica e emoção, bem de acordo com a sua era.

Século XX: a inovação tecnológica

O gramofone e a rádio libertaram a música do teatro ou da presença física do músico; passou a ser possível armazenar a música fisicamente, bem como transmiti-la a grande distância e para um grande público. As primeiras décadas do século XX assistiram à massificação da música, que se tornou uma indústria de milhões de dólares e cada vez mais madura. Na segunda metade do século, os movimentos musicais (o rock and roll, reggae, punk, rap) passaram a estar na linha da frente das renovações culturais e sociais.

Século XXI: a internet

Os sites de video, o streaming e a internet de banda larga trouxeram uma nova revolução à música, da qual ainda estamos a sentir os efeitos. Contudo, a internet fez a música voltar ao início; o músico pode anunciar e divulgar seu trabalho ao mundo, sem a ajuda da indústria.